Cores na Bedford Ave, Brooklyn , NY

bedford ave brooklyn ny

Neste Casos à Parte trago um exercício que geralmente arquitetos e profissionais de design de interiores fazem ao iniciar um projeto.

Geralmente procuramos uma inspiração, pode ser uma paisagem, uma fotografia, uma peça de arte ou qualquer outra coisa que nos inspire quer seja  pelas suas formas quer seja pela sua  paleta de cores para começarmos a definir o conceito, a cara que o projeto vai ter. Porém isto não é uma regra, muitas vezes como vai ser o caso deste post, os detalhes capturados em um passeio pelo Brooklyn , NY, mais especificamente pela Bedford Ave me levou à estilos e ambientes de interiores e até mesmo à arte, ou seja, o sentido inverso do processo usual de conceituação de projeto.

Esta é uma das coisa fascinantes da arquitetura de interiores, infinitas fontes de inspiração e  criação.

Mas vamos ao que interessa e  espero que ao caminhar por aí vocês também possam ser pegos por alguma cena e pensar…a que isto me remete? O que desperta em mim? Pode ser até sentimentos, lembranças que, sem perceber,  sem dúvida levará a alguma ideia no futuro.

CENA 1

Um pouco de ousadia. Este bar tem cores vivas, verde com rosa pink e até amarelo,  mas entre estas cores há o branco e a madeira que fazem o papel de intermediadores para equilibrar toda a vibração.

Usar tudo isto em casa? Sim, por que não? Não necessariamente pintando as paredes, mas pode ser na mistura dos objetos, móveis e/ou flores. Pense que ver esta paleta de cores agrada aos olhos , desperta uma curiosidade e há inúmeras maneiras de trazer isto para dentro de casa sem obrigatoriamente deixar tudo verde e rosa (risos).

Vamos ver como exemplo uma sala de estar.

PALETA DE CORES #1

Esta sala de estar reflete um pouco da paleta de cores do bar com o sofá revestido em veludo com um tom de verde vivo e sobre ele uma fotografia cuja imagem possui tons de verde que formam juntos uma grande parceria, um valoriza o outro em igual porcentagem no que se refere as suas cores.

A madeira está no  piso e a cor da cortiça da mesa lateral tambem faz o papel de neutralizar, bem como todo o pano de fundo (paredes) na cor branca.

Poderiam se perguntar, e onde esta o pink? Minha sugestão seria completar a paleta com flores, em especial a  Gloriosa pois além de exótica ela faz presença sozinha, seja em mini arranjos ou em um vaso único.

MÓVEIS

O sofá pode ser qualquer modelo , já o tecido pode ser um veludo, sarja ou uma lona.

A JRJ Tecidos tem uma lona  pré lavada que não encolhe e além do tom verde o próprio tecido vai dar o despojamento e o ar descontraído que  cores da referência  proporcionam.

Para fazer pano de fundo uma tela ou fotografia que possua esta paleta que vai para os verdes e marrons alem de enriquecer vai compor, fazer o fechamento do espaço.

A mesa lateral pode ser de cortiça ou mesmo de madeira.

Algumas ideias:

Composição e fotografia : Beto Riginik

Tecido: Lona Country Washed Esmeralda – JRJ

Mesa lateral: Cork Family do designer  Jasper Morrison – Vitra

CENA 2

Tantas vezes passamos por detalhes nas ruas sem darmos a mínima atenção. Algumas delas com toda sua sutileza podem proporcionar infinitas ideias.

Mais uma vez a imagem inspira pela paleta de suas cores, elas permeiam entre um tom de ferrugem, alaranjado e um tom metálico ligeiramente prata.

Estes tons me remetem aos moveis dos anos 50/60 e também a uma coloração  de couro que tem um tom de mel queimado.

PALETA DE CORES #2

Neste projeto do Studio Mellone em Nova York temos: a mesa em madeira ébano, as  cadeiras LC 7 em couro em tom de caramelo são um ícone do design moderno de Charlotte Perriand, o buffet que apesar de não conseguir dizer se é da década de 50 tem forte influencia do design desta época no seu desenho e madeira, somados ainda à luminária de mesa da mesma década de Greta Magnusson Grossman, fotografia em PB recostada no espelho e mais um abajur que sem duvida completa o cenário e serve de iluminação complementar.

O conjunto possui além da paleta de cores da foto do detalhe do gradil, o mesmo sentimento de certa nostalgia, percebam que os objetos e móveis são de diferentes épocas e mesmo assim completamente em harmonia entre si. Aliás esta mistura de estilos, épocas, arte e design é que tornam o ambiente nao exatamente inusitado, mas agradável ao olhar e certamente singular, ve-se o cuidado e particularidade na escolha desde os móveis até o menor objeto como a bandeja de prata que está sobre o buffet.

MÓVEIS

Indo nos detalhes e tentando achar sugestões para uma concepção de sala de jantar que tenha como base as mesmas cores e intenção de mesclar peças de diferentes épocas seja no móvel ou nos objetos decorativos.

Buffet: GB – Geraldo de Barros – DPOT

Cadeira MR – Mies van der Rohe – Knoll

Luminárias de mesa: Refletor – La Lampe e Flower Pot – Verner Panton

Agora é sua vez, ao passear pelas ruas, praias, parques, etc fique mais atento ao que está a sua volta, às cores. As melhores paletas geralmente são dadas de graça pela natureza, mas há muito da arte urbana, da arquitetura, das fotografias e das artes plásticas, seja em museu ou galerias, para explorar, refletir e viajar um pouco na imaginação e trazer para dentro de um espaço, seja ele residencial ou comercial.

No começo pode ser um pouco difícil, mas como dito no inicio do post é um exercício e se quiser uma ajuda, por favor pergunte , questione, topamos o desafio de usar o que viu e chamou sua atenção como inspiração para  criar um ambiente!

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>