Sobre móveis/buffets – ideias de decoração

Algumas vezes o acúmulo de ideias de decoração, informações e imagens de peças de arte, objetos, fotografias e móveis disponíveis tanto nas lojas e na web como nas revistas de arquitetura, arquitetura de interiores e/ou decoração dificulta a identificar o que poderia-se ter por exemplo, sobre um móvel/buffet.

Não existem regras ou maneira certa, mas estudando um pouco aqui neste post dois exemplos, podemos entender o que há atrás da cena das escolhas dos objetos que compõem a decoração sobre o móvel alto do ambiente da arquiteta Naomi Nabi para a mostra de interiores Moderno e Eternos , 2017, na primeira cena e no buffet de decoração despretensiosa, na segunda cena.

CENA 1 – MÓVEL DO AMBIENTE NAOMI NABI

Na mostra de interiores Modernos e Eternos de 2017, a arquiteta Naomi Nabi escolheu de forma muito perspicaz peças para o móvel da Vermeil.  Vejam a maneira que a  distribuição e caraterísticas dos objetos formam um conjunto em completa harmonia. De maneira muito sutil, ou não, ela deu sofisticação e tirou proveito da fotografia em PB de Sebastiao Salgado – Serra Pelada, Galeria Sampa,  para  fazer contraste tanto ao fundo escuro da parede, mas mais ainda para fazer uma analogia  ao brilho da luminária e do detalhe da escultura da loja Teo que segura um pote dourado.

Vejam mais de perto e observem também as proporções e posições  de cada objeto .

IDEIAS DE DECORAÇÃO COM A MESMA LINGUAGEM

Separei algumas peças como opção que tem as mesmas proporções e cores, porém gosto sempre de lembrar que assim como a arquiteta Naomi fez, os objetos que se escolhe para compor uma decoração seja sobre um móvel ou para outro lugar da sua casa ficam muito mais interessantes e se tornam muito mais atraentes/charmosos quando selecionados com critérios também de significado para quem os irá tê-los ou mesmo um significado entre eles (objetos) .

CENA 2 – BUFFET DESPRETENSIOSO

Na ideia da decoração sobre este buffet,  há um detalhe muito sutil, quase imperceptível ao primeiro olhar, porém super instigante e que faz parte da sua conceituação.

Vejam o livro Waldersten 365 de Jesper Waldersten. Waldersten é um ilustrador/artista da Escandinávia e no livro ele emprega uma mistura de palavras, fotografias e música para criar imagens muito pouco estáticas e nada óbvias.

Somado as imagens encontradas no livro há outras referências anatômicas (partes do corpo e musculatura), que sugerem movimento e transmitem sensações. Podemos vê-las, por exemplo, na fotografia ao fundo, que apesar de não saber o autor, me lembra muito as imagens dos corpos de atletas do fotógrafo David Burnett, cujas fotografias podem ser encontradas na Leica Gallery em São Paulo, SP.

Estes objetos aliados `a escultura de mão articulada feita em madeira usada para estudos de desenho/traços e a luminária de mesa preta AJ criada por Arne Jacobsen em 1960, formam um conjunto despretensioso, porém muito rico em informação, pois,  sem dúvida, fala um pouco de quem mora neste lugar através das peças escolhidas.

OUTRAS IDEIAS PARA A MESMA DECORAÇÃO

As ideias de decoração abaixo possuem características bem similares ao do buffet no que diz respeito ao tema envolvido: fotografias com imagens de corpos e movimento, vasos cujas formas são arrendadas e que também cada um a sua maneira sugerem a ideia de movimento e acrescentei gravuras tanto do artista do livro mencionado, Jesper Waldersten, como de um artista plástico chamado Georg Berlitz cujas obras reproduzem corpos porém de forma que “desafia” a gravidade.

Neste post mostrei, de maneiras distintas, ideias de decoração para um móvel e um buffet com a intenção mesmo de ilustrar que há formas diferentes de pensar e escolher as peças para colocar sobre um móvel.

De novo, não há uma regra, mas vocês perceberam a diferença entre as duas cenas além dos estilos?

A primeira tinha, até mesmo por ser de um ambiente de uma mostra de decoração, uma preocupação maior na montagem e na arrumação. Os detalhes são sutis mas muito bem pensados, as peças são muito bem escolhidas e colocadas pela arquiteta.

Já na segunda cena há um despojamento, um acúmulo de objetos, porém todos envolvidos, como se conversassem entre eles sobre movimento, corpo, arte, desenho, traços e talvez até anatomia.

A minha ideia no Atrás da Cena é sempre de sugerir que instiguem o olhar, a percepção… porque afinal, as melhores ideias de decoração são sempre, na minha opinião, aquelas que transparecem, mesmo que sutilmente, uma identidade.

Até o próximo post! 😉

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>