Inspiração – uma cena e um restaurante

Inspiração – uma cena e um restaurante. Imagino que devem estar querendo entender onde quero chegar com este título e a imagem em destaque.

Vou contar para vocês. Eu gosto muito de quando saio por ai de capturar imagens cuja cena me atrai por algum motivo. Na maioria das vezes é um detalhe arquitetônico,uma paleta de cores ou a harmonia de um conjunto que me pegou de tal forma que não teve como não registrá-lo. Aliás é um coisa quase que automática.

Costumo sempre tirar proveito da captura desta imagens de alguma forma, muitas vezes no meu próprio trabalho ao desenvolver um projeto de interiores e aqui no blog tento mostrar para vocês que esta é uma das maneiras de buscar, ter inspiração e de obtermos referências reais de harmonia de cores, texturas e estilos. Além, claro, de ser muito divertido.

A cena é em uma das ruelas da Città Alta de Bérgamo, Lombardia, Itália e o restaurante ao qual vou desvendar a cena é o Frenchie  e fica no bairro Covent Garden em Londres.

Gostaria que percebessem e vissem bem a imagem primeiro na rua da Città Alta. As cores pálidas dos afrescos, o cinza dos paralelepidos da rua e do muro da igreja e o contraste das cores do cabelo, vestido e sapato da mulher de costas que vibra na cena completamente neutra com um fundo coadjuvante, eu diria. O brilho fica por conta da contemporaneidade e das cores fortes na figura feminina que estão ali apenas de passagem, mas ao mesmo tempo virou o foco principal da cena.

CORES E TEXTURAS

As duas cenas, apesar de serem ambientes completamente diferentes eu poderia perfeitamente ter me inspirado na fotografia que tirei em Bergamo para criar um ambiente, tirando proveito das suas cores e até mesmo das suas texturas.

No restaurante Frenchie, Covent Garden, em Londres, projetado por Emilie Bonaventure, o design de interiores oferece um ambiente com paredes caiadas e tijolos expostos, aquecidos por acentos de bronze, cobre e zinco.

As nuances vão de um rosa mais escuro e pálido no tecido das cadeiras, passa pelo tom avermelhado dos tijolos aparentes, vai para o cinza dos tampos em zinco das mesas e chega no brilho dos pendentes distribuídos de forma quase aleatória, o que valoriza e dá destaque individualmente a cada um deles.

MÓVEIS

A disposição das mesas e cadeiras do salão de um restaurante fica mais dinâmica e com , vamos dizer assim, mais movimento quando se alterna a tipologia dos assentos.

Por exemplo, no restaurante as mesas quadradas com tampo de zinco ficam compostas com cadeiras estofadas de estrutura bem leve e também com um sofá longineo que proporciona a opção tanto de conforto quanto de composições.

As cadeiras que selecionei como sugestão possuem uma silhueta bem parecida com as do ambiente do restaurante Frenchie e separei um tecido da marca francesa Pierre Frey, já abordei esta marca no post Lojas de Tecido, que daria a “pitada” de vermelho a cena, uma alusão ao cabelo e sapatos da mulher da fotografia.

  1. Cadeira Serafina – Fernando Jaeger l 2. Cadeira Velvet – Tiago Curioni l Tecido Pierre Frey

ILUMINAÇÃO

O restaurante é favorecido pela luz natural que entra através das portas envidraçadas da fachada e também das claraboias no teto na parte frontal do salão.  A designer Emilie Bonaventure não abriu mão do pé direito alto e usou toda a infraestrutura do ar condicionado no sistema giroval aparente e usou trilhos presos na laje para distribuir os pendentes com desenhos e tamanhos diferentes, o que deu despojamento e ao mesmo tempo um requinte dado que o latão faz parte dos detalhes do design de todos eles, um charme!

Separei alguns pendentes cujo design e material (latão) dariam também um  toque, a “pitada” de brilho que confere ao lugar uma sofisticação despretensiosa e nos remete ao brilho do cabelo vermelho da mulher em uma via na parte antiga da cidade de Bergamo, Itália.

Em sentido horário : 1. Pendente Lite – Louis Weisdorf l 2. Pendente Gunter Leuchtmann l 3. Pendentes Doo Wop – Louis Pouslsen  l 4. Pendente Lexus – Collector 55

Importante chamar atenção de vocês para que entendam que por trás de todo a concepção deste projeto do restaurante Frechei, a arquiteta buscou toda a sua identidade tanto na cidade como no ambiente de origem, Paris. Todos estes materiais usados, estes tons de cores e design dos móveis possuem a identidade do restaurante francês de origem. Ela os definiu, os mostrou de forma muito delicada e chique e ao vê-lo me remeteu a esta fotografia que tirei, quando um dia destes andava pela Cittá Alta e me deparei com esta cena de inspiração.

Portanto, eu recomendo este exercício que é o de praticar a observar melhor o que está em sua volta, mas não feito uma caça à imagem (risos) , pois naturalmente a paisagem seja ela qual for irá de alguma forma fisgar vocês.

Se tiverem alguma imagem que queiram usá-la como inspiração para algum ambiente e quiserem minha ajuda, me escreva por aqui, será uma delicia ajudar. Podemos até ter a sua imagem aqui e ao invés do titulo Inspiração – uma cena e um restaurante teríamos Inspiração – uma cena e um … (nome do ambiente) , o que acham? 🙂

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>