Mais do que arquitetas: Lina Bo Bardi

Este é o primeiro de uma série de 3 posts falando sobre arquitetas/designers que se destacaram e tiveram grande influencia no desenvolvimento da arquitetura de interiores mas principalmente do mobiliário e uso das artes visuais dentro dos cenários quer sejam projetados por elas, quer sejam para o mercado de móveis.

Começo com nada mais e nada menos do que Lina Bo Bardi. Uma arquiteta cujo trabalho tem tamanha dimensão  nos campos da arquitetura, do design industrial  e das artes visuais que se torna um pouco mais difícil a minha conversa aqui no blog, mesmo que a minha intenção aqui não seja atingir todos os âmbitos da carreira desta arquiteta ou mesmo desenvolver um texto de pesquisa acadêmico sobre Lina Bo Bardi, bem longe disto. O objetivo é apenas apresentar, fazer uma pequena introdução de forma livre, despretensiosa e prazerosa para aqueles que não a conhecem ou os que pouco conhecem o seu trabalho. Sendo assim, eu resolvi mostrar uma pequena mostra do design de mobiliário que esta arquiteta italiana naturalizada brasileira desenvolveu na sua rica trajetória de trabalho enquanto arquiteta, contando um pouco da historia e chamando atenção para a forma de quatro cadeiras/poltronas.

Vale ressaltar, porém, que além do design de móveis e da arquitetura, Lina viu e levou a cultura popular para o desenvolvimento do seu trabalho, colecionou arte popular e a trouxe para dentro dos ambientes valorizando-os em perfeita harmonia com o design dos seus móveis modernos que, na minha opinião, são completamente atemporais apesar de marcarem ao mesmo tempo uma época, pois o Brasil vivia o fim da ditadura de Vargas e começava uma democratização e estimulo ao desenvolvimento da industria e urbanização.

Escolhi quatro peças que hoje são desenvolvidas pela industria brasileira e italiana e que estão disponíveis para compra, alguns estão presentes em ambientes públicos o que possibilita a todos a experiência com o design “vivo”. Isto não é sensacional?

Aqui vão elas:

1 CADEIRA GIRAFA

 

Esta cadeira foi projetada em parceria com os arquitetos Marcelo Ferraz e Marcelo Suzuki em 1987 para o restaurante Casa do Benini  em Salvador, Bahia, e executada pela Marcenaria Baraúna. O Museu de Arte Moderna de Nova York  a incorporou no seu acervo em 2016.  Atualmente é comercializada pela loja de mobilário DPOT e pode ser, não apenas vista, mas também “provada” no café do MASP ao lado da lojinha do museu. É interessante ver a simplicidade da sua forma, estrutura e ao sentar sentir como o seu singelo espaldar apoia a coluna e acompanha exatamente a linha das costas. Além disto ela é empilhavam em até três unidades.

CADEIRA GIRAFA

2 CADEIRA COM BOLA DE LATÃO

 

Originalmente, esta cadeira foi desenhada para a Casa de Vidro, residência da própria artista, posso chamá-la assim sem dúvida, e de Pietro Bo Bardi e foi produzida em apenas seis unidades.

Ao primeiro olhar pode até parecer um tanto quanto estranha, ela é enigmática mesmo, ousada para a época, mas perceba os detalhes, a sua ergonomia e materiais. Tudo está em perfeita harmonia, a forma composta com o latão, ferro e couro, faz uma mistura de materiais rústicos e mais sofisticados valorizando um ao outro, nas proporções certas. A boa noticia foi que a partir de 2015 a Etel Interiores começou a reproduzi-la através dos desenhos originais deixados pela arquiteta e a comercializa sob encomenda.

CADEIRA COM BOLA DE LATÃO

3 POLTRONA DE BALANÇO

 

A poltrona de balanço foi projetada também para sua Casa de Vidro, especificamente para a biblioteca, teve inspiração e seguiu  as linhas de Oscar Niemeyer. O que acho mais interessante no  seu desenho é como o seu encosto deriva da estrutura e plaina no ar, ele é travado simplesmente pelos braços.

A Etel Interiores lançou a reedição desta cadeira, cuja produção segue os mesmos padrões de quando foi criada em 1948.

Apenas para inseri-la em um contexto histórico da participação e da importância de Lina Bo Bardi no estimulo `a divulgação e no desenvolvimento  do design de mobiliário considerado como arte menor, foi neste mesmo ano que ela idealiza e organiza a Exposição da Cadeira no Masp, então no centro de São paulo, com colaboração de Giancarlo Palanti.

CADEIRA DE BALANÇO

Próxima e última peça, pois o trabalho da Lina Bo Bardi é tao vasto que não daria para tratá-lo em apenas um post.

4 POLTRONA BOWL

 

Uma peça irreverente para sua época, esta poltrona desenhada por Lina em 1951, mais uma que foi criada no mesmo ano em que projetou a Casa de Vidro, segue com o conceito da designer de ter o homem no centro dos objetos e permite através do seu design várias formas de sentar o que  vira quase uma brincadeira. A estrutura é muito simples e leve, quatro pés  e um aro de ferro com um assento semi-esférico que não é fixo, a sensação que se dá é que ele fica “flutuando”, solta do piso.

Em 2013, a empresa italiana Asper reeditou a poltrona  com uma edição limitada de 500 unidades através de um protótipo e dos desenhos originais de Lina, um trabalho em conjunto com o Instituto Lina Bo Bardi e P. M. Bardi. Aqui no Brasil ela pode ser encomendada na loja Dpot com opções de cores e estampas de tecido, todos escolhidos com referências dos estudos deixados pela arquiteta,  e também em couro preto que é a mais parecida com a original. Na Casa de Vidro em Sao Paulo há uma peça original da época em que Lina morava na casa, uma ótima oportunidade de ver a peça pessoalmente e ainda visitar a casa, um ícone da arquitetura modernista.

POLTRONA BOWL

Aproveitem, façam uma visita `as lojas que disponibilizam estas cadeiras comercialmente, mesmo que seja apenas para sentar nelas, afinal sempre vale a pena conhecer de perto e sentir o bom design!

Se quiserem mais alguma informação sobre estas ou outras pecas que a Lina Bo Bardi criou, pergunte aqui, será um prazer ajudar a matar sua curiosidade.

Qual será a próxima arquiteta? Fiquem atentos aqui, em breve eu revelo. :)!

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>