O mar dentro de casa : hall de entrada

Interior design by Jenni Kayne

Já desejou o Mar dentro de casa? Ou melhor dizendo, admirar o mar dentro de casa? Nem todo mundo tem este privilégio de maneira natural, mas pode-se ter através da arte !

Com uma fotografia | fine art, por exemplo, que te desperta realmente aquela sensação que o mar promove, que pode ser de frescor, de vontade de mergulhar….

Mas, onde onde colocar?

Neste post é em um hall de entrada de casa, assim todos podem apreciar e já causa um frescor ao se entrar.

Outra ideia que seria ter no quarto para acordar com uma bela vista e imaginar um mergulho e todas as sensações que o mar e suas águas podem proporcionar.

ARTE

A grande atração deste hall de entrada  é a fotografia em grande escala do fotógrafo Richard Misrach para casa de Jenny Kaine nos EUA. Este renomado fotográfo tem como característica invocar a consciência através de sua arte sobre os danos que as ações do homem e da indústria tem causado para a natureza.

Nesta série chamada On the Beach, o titulo se refere a um desastre nuclear que não foi percebido por um grupo de banhistas que posteriormente se viram como os únicos sobreviventes.

Além disto, de acordo com a revisa Smithsonian as fotos também estão relacionadas ao ataque do dia 11 de Setembro às Torres Gêmeas em NY City, EUA.

As perspectivas aéreas de figuras suspensas no oceano ou na praia lembrou a Misrach as fotografias das noticias com as pessoas caindo das torres.

Fotografia Fine Art: On the Beach l Richard Misrach

Como sugestão de Fine Art com imagem do oceano, sugeriria uma das da série Natura di Acqua e Sale do fotográfo Thomas Baccaro. Thomas tem como uma característica marcante nas suas fotografias a forma sensível do olhar e de captar a luz natural e a natureza.  Esta série ele a dividiu em:

Acqua e Sale, onde as formas do sal rosa da reserva biológica em Isola Lunga, na Sicilia, são por ele captadas de uma maneira que é muito forte em seu trabalho, facilmente se percebe que uma simples imagem se transforma em algo que reflete sentimentos e reflexões.

E Natura, onde através de estonteantes imagens de montanhas rochosas vulcânicas e o mar mediterrâneo ele propõe, como o próprio artista cita:  “…uma submersão na luz efêmera da vida, onde entramos em contato com nossa essência mais natural, inspiração e apropriação, o revelar do enigma através do olhar”.

Fotografia Fine Art : Natura de Acqua e Sale l Thomas Baccaro

MÓVEIS

Apenas um banco para ser servir como quase um falso apoio para a fotografia em grande escala do fotógrafo Richard Misrach.

Em um hall de entrada quando se há espaço na largura, um banco é uma ótima escolha de mobiliário , ele não necessariamente irá servir para sentar, mas serve como um apoio para os visitantes deixarem, por  exemplo, bolsas ou qualquer outra coisa que não precise ficar perto.

Neste hall, almofadas feitas com tecidos de tear manual e uma manta foram colocados para dá um charme a mais e também, vamos dizer, personalizar o ambiente.

 Bancos : 1. Otto – Fulvio Nanni – Dpot l 2. Quatro – Janine de Zanine – Herança Cultural l 3. Trama – Etel Carmona – Etel Interiores

OBJETOS

Como um charme a mais, um cuidado e talvez até com o intuito de fazer um pouco de relação ao tons de areia de uma praia as almofadas sobre o banco possuem uma trama , dando textura aos tons claros.

Já a manta de tear manual também tem o papel de detalhe da decoração para o hall de entrada. Aliás uma ótima ideia é fazer as capas das almofadas utilizando mantas que vocês podem comprar na sua cidade ou em alguma viagem em feiras livres ou mercados de arte popular.

 Almofadas : By Kamy l Manta: Paola Muller

ARTE POPULAR

Os cestos completam o “quadro” . Aqui no Brasil temos na arte popular uma gama e variação de cestaria de diversas regiões do pais como os da arte indígena que dependendo da tribo possuem desenhos e cores diferentes.

O Brasil uma riqueza incalculável na arte popular e eu não poderia deixar de indicar algo do gênero para um hall de entrada de casa.

 Cabeças de mulher : 1. Grupo Familiar Cida Lima / PE  l 2. Cestaria : arte indígena l Divino Trancoso

Ter O Mar dentro de casa, tomando a licença poética de “falar” assim, dá em qualquer ambiente da casa aquilo que mais acredito e sinto que o mar pode proporcionar que é sentir a grandiosidade da força que a natureza tem de mexer com nossos sentimentos e pensamentos.

Ele no leva além mar (risos) e através de uma imagem fazer sentir o cheiro e emoções de nossas lembranças mais furtivas, só precisamos nos deixar levar um pouco e imaginar.

Nada melhor do que uma fotografia para representá-lo e nos levar a tudo isto e ainda poder proporcionar  a quem também nos visita as mais esquecidas boas lembranças.

Descubra na sua casa aonde gostaria de ver o mar e escolha uma Fine Art que revele aquele Mar que mais vislumbra o que quer sentir através da sua imensidão.

Até o próximo post !

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>