um cantinho da sala : dica de decoração

As vezes algumas casas ou apartamentos possuem um cantinho da sala que convida para uma conversa mais próxima, uma leitura ou simplesmente para ficar a toa e neste post vai uma dica de decoração para este espaço.

Neste canto de uma sala de estar de um projeto de interiores de um apartamento da arquiteta Luciana Penna há um jogo de composição entre o design dos móveis, a estrutura original do prédio e arte fotográfica que faz com que ele seja convidativo e eu diria que faz dele um espaço “quente” e aconchegante.

CORES

Cores neutras, neutras e neutras! O que o faz ficar “quente”, então?

Basicamente a cor da madeira do painel ao fundo que está em outro ambiente mas como a estrutura de onde supostamente existia uma parede é vazada ela também faz parte do cantinho da sala. Aliado ao painel está a cor também da madeira e do couro da poltrona (já falo dela!) e da base de um sofá suspenso do piso.

E para quebrar um pouco o tom da madeira, tão presente, a fotografia tem exatamente o oposto, uma paleta de cor bem fria, azuis e cinzas pendurada no pilar com seu concreto aparente, um elemento frio sobre outro elemento considerado frio pela sua cor cinza, o concreto.

Perceberam o equilíbrio ?

A dica de decoração que a cena deu é que uso do tom da madeira faz com que o ambiente se torne aconchegante e faz contraponto ao concreto aparente e à arte fotográfica com suas cores mais frias. Um contraste e equilíbrio perfeitos.

MATERIAIS

MADEIRA

A madeira tem, como disse no comecinho do post, uma grande presença neste cantinho da sala e na cena gosto particularmente das catedrais ( desenho dos nós que são naturais das árvores ) que a folha natural da madeira forma no painel deixando um desenho bonito  e dispensando qualquer tipo de detalhe. Eles (os nós) por si, já são o desenho.

Um tom bem similar de madeira também é usado na cadeira de design e na base do sofá que foi sem duvida desenho da arquiteta. É uma boa dica de decoração pois parece que o sofá flutua, a base apesar de ser também de madeira não ficou pesada por estar completamente solta do piso. Para fazer isto se faz necessário de um projeto onde se prever as medidas e bitolas certas para estruturar o móvel (sofá), ok?

CONCRETO

Já o concreto, frio por excelência (risos) ficou completamente aparente e também tem um grande papel, sem dúvida, no resultado final deste cantinho da sala. Tanto o pilar, vigas e laje estão expostos, pós reforma, e dão uma característica casual ao ambiente.

Interessante ver que a cor do estofado do sofá escolhida é bem próxima da cor do concreto, o assento e as almofadas soltas se fundem ao fundo cinza que é o pilar. Isto é uma boa dica de decoração para quando não se quer que o móvel chame muita atenção.

Materiais : madeira , concreto e tecido

MÓVEIS

POLTRONA

Sob meu ponto de vista a poltrona e a fotografia roubam a cena. Eles parecem até estarem olhando um para o outro, não acham?

Romantismo a parte (risos) o design desta poltrona é tipicamente da década de 50 e é provavelmente de autoria da designer e arquiteta Lina Bo Bardi. Digo provavelmente, pois não achei nenhum registro confirmando que é de sua autoria. Mas, nao deixem de ver o post que fiz sobre algumas peças de mobiliário que ela desenhou tanto para sua residência quanto para outros projetos de sua autoria.

Olhando com mais cuidado para seu desenho, vejam o detalhe das esferas de madeira nas pontas do assento que são na verdade o final das pernas, ou seria o começo? Alem do delgado encosto apoiado por estruturas inclinadas que a deixam com um desenho limpo e ao mesmo tempo confortável para o apoio das costas.

Outras poltronas da mesma época que eu poderia citar como exemplo de design similar e simplesmente admiráveis pelo seu conforto e autenticidade:

Poltronas: 1.  Cadeira Três Pés – Lina Bo Bardi l 2. Boomerang – Zanine Caldas – 1950 l  3. Kilim – Sérgio Rodrigues – Dpot

ARTE

FOTOGRAFIA

A fotografia escolhida possui tons bem azulados e possui uma cena que deixa ao critério do observador criar uma história. Ela parece ser fria, por causa das suas cores, mas se deixar a imaginação vagar a imagem pode levá-los a várias interpretações além de observá-las apenas com o critério artístico / técnico e de cor.

Nao dá para saber o que a imagem representa para o(s) dono(s) da casa, mas gosto de acreditar que a fotografia foi escolhida não apenas como uma dica de decoração, mas por uma admiração ao trabalho do fotográfo (desconheço a autoria da foto), por a cena ter despertado algum tipo sensação, seja ela qual for, pela admiração a arte e de certa maneira pela o que ela representa para quem a adquiriu, tudo isto ainda aliado a ela ter “casado” perfeitamente no cantinho da sala, ter ficado como se fosse uma peça fundamental para completar a cena . 😉

Fotografias: 1. Sphere – Thomas Baccaro l 2. Por Sudo Kasuya

Fotografias: 1. Por Sixty Six l 2. Por Claudio Edinger

Nao sei se notaram mas com poucos itens, ou nem tão poucos assim, este cantinho da sala ficou além de muito charmoso ficou cheio de historia para contar.

Explico melhor. A estrutura em concreto aparente vem de uma reforma no apartamento, a poltrona foi, provavelmente, ou um achado da profissional ou mesmo do proprietario(a), a madeira faz parte do novo visual da reforma e veio para equilibrar a frieza do concreto e por fim, mas não menos importante, a fotografia que tem algum significado, e vai fazer referência a uma época e a uma admiração pela arte.

Acredito e não canso de repetir que os espaços necessitam deste tipo de personalidade, de ser autêntico, e ter o jeito e as referências de quem vai passar a maior parte do seu tempo nela, ou seja, das pessoas , que a tem como lar e o arquiteto(a)/design de interiores tem uma grande função de ajudar a quem ainda não sabe do que gosta a identificar. Esta é minha grande dica de decoração. 😉

Eu por aqui no Atrás da Cena posso também te ajudar, alias é o que tento através dos posts, mas se quiser uma dica mais especifica, um Norte (risos), não deixem de me enviar um e-mail ou até mesmo uma mensagem inbox pelo Intagran, vou gostar muito disto!

Beijos e até!

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>