Uma cozinha funcional sem cara de cozinha. Será?

Design : Liljencrantz Design

Uma cozinha funcional consegue não ter cara de cozinha? Falo das cozinhas que não são integradas às salas ou que não pretendem ter a mesa de jantar como parte dela.

Já trouxe alguns posts com cozinhas que integram com a sala de jantar em Casual, que são praticamente uma sala de jantar como em Contrastes e abertas com ilhas como no post Cenário – Uma cozinha com ousadia.  Esta, porém tem uma característica diferente. Se olharem melhor, ela tem um pouco do modelo de arquitetura das antigas cozinhas, onde a sua área permitia que houvesse a área de trabalho mas também o espaço para colocar uma mesa para uma refeição. Normalmente tinham um visual muito característico de uma área de “serviço” bem ao contrário desta que trago hoje.

Esta cozinha é “quente” e usa e abusa de peças de design de mobiliário como as cadeira de Jean Prouve, de arte e de objetos de design.

Isto sem falar, claro, da sua paleta de cores e na mistura perfeitamente equilibrada de estilos de decoração.

CORES

Um dos itens que colaboraram para que esta cozinha funcional ficasse sem cara de cozinha (risos) foi sem dúvida a paleta de cores. Quando menciono paleta de cores não significa apenas cor de parede, mas sim todas as cores usadas também nos móveis, sejam soltos ou marcenaria, piso e até objetos, ou seja, as cores de todos os elementos que compõe a arquitetura de interiores.

A cor marrom, a mais forte, está presente nas cadeiras e mesa, o tom de terra vai no estofado do sofá, o tom oliva na marcenaria dos armários e o tom mais claro, que não chega a ser branco vai nas paredes e nos armários que que faz fundo ao sofá.

Percebam que os maiores campos aqui não são os tons mais escuros e fortes. Estes foram deixados para áreas menores que são os móveis e fazendo base para tudo isto foi usado um tom de grafite no piso para não se destacar mais que as cores escolhidas para ficar a altura dos olhos.

Cores Sherwin Williams : 1.  Black Bean SW6006 l 2. Bold Brick SW6327  l 3. High Tea SW6159 l 4. Natural Choice SW7011

MATERIAIS

Nesta cozinha funcional sem cara de cozinha, o predominio é da madeira escura das cadeiras e do tampo da mesa aliada ao laminado melaminico que reveste os armários superiores e inferiores. Se olharem com mais atenção vão ver o azulejo branco revestindo a parede da bancada onde estão o fogão e provavelmente  a pia, ou seja, uma proteção para a área de trabalho onde mais se concentra água e gordura.

Nas outras paredes apenas pintura o que também propicia ao ambiente este ar meio sala meio cozinha.

Os acabamentos práticos para uma área como a cozinha não foram dispensados, como o laminado melaminico e o azulejo na parede da bancada de trabalho porém ao usar as cores sóbrias nos revestimentos e a madeira escura nos móveis, faz com que a cozinha ganhe sofisticação na medida certa.

1.  Madeira de referência l 2. Cerâmica Branco Sim Tel – Linha Aquarela – Portobello

MÓVEIS E OBJETOS

Pode parecer sutil e passar desapercebido, mas as cadeiras Standard do designer Jean Prové, uma das mais famosas cadeiras do designer da década de 30/50, aliadas a mesa com características dos móveis da mesma época, são usadas juntamente com um sofá fixo, com altura de assento próprio para mesa e com um tecido ( provavelmente um couro sintético) igual ao  encosto que fez uma parceria perfeita com o tom da madeira do tampo da mesa. Uma composição “quente” que se destaca do fundo claro da parede e do fundo mais ao longe do verde oliva dos armários.

Como eu poderia resumir….? Materiais sofisticados, mas sem ostentação. É isto. 😉

Cadeiras: 1.  CH88 – Hans Wegner – Carl Hansen l 2. BW0701 – Casual Móveis l 3. Friso Kramer – Pamono

Mesas : 1.  Jacarandá – Jorge Zalszupin – Loja Teo l 2. Analux – Decameron Design 

E para fechar as cerâmicas artesanais são dispostas na prateleira superior como quem não quer nada,  mas seus tons foram bem pensados e seguem com cores neutras, sem se fazerem de grandes estrelas da cena deixando isto para o bowl e jarra sobre a mesa.

Cerâmicas Tortus – por Eric Landon

Uma cozinha funcional precisa, claro, além dos seus acabamentos, da disposição correta de layout (bancada de trabalho com pia, fogão , geladeira).

Nao foi minha intenção aqui trazer os tipos de layouts possíveis e os melhores em questão ergonômica, nem também trazer as dimensões ideiais de armários e circulação, por exemplo, mas mostrar que através das cores, móveis e objetos pode-se ter uma cozinha funcional sem ter cara de cozinha quando for assim a vontade.

Mas e a sua cozinha? Que “cara” tem? Me conte ou se precisar de ajuda para definir a sua cozinha, me pergunte por aqui! 😉

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>